domingo, 21 de outubro de 2012

ir embora.


Eu sei que dói. Dói em mim também. Eu sei que você fica triste com a possibilidade de eu ir embora e eu fico triste em ter que te deixar pra trás. Mas a vida é feita dessas coisas e eu tenho que aprender a viver sem você. Nem sempre eu vou ter alguém pra ligar quando eu bater o carro. E não é nem questão disso. Você sabe que é a única pessoa que eu confio de olhos fechados. Nem sempre eu vou ter alguém pra confiar de olhos fechados.
         Me entristece que você não possa me dar tudo aquilo que eu preciso, mas eu entendo. A gente teve momentos excepcionais juntos. O que eu passei com você, sinceramente, eu não passei com ninguém. E talvez eu nem venha a passar. Mesmo assim, os momentos não me prendem. São memórias que me deixam feliz, que me deixam triste, que me deixam com raiva, que me deixam com vontade de um revival. O nosso único problema é a mudança, a mudança que eu e você sofremos, que não vai nos permitir a voltar o que éramos.
         Agora, o único caminho que eu vejo na nossa frente é cada um seguir fazendo o que tem de ser feito. Você tem muitas coisas que te cobram na sua vida, já eu nem tanto. Pelo menos eu não encaro dessa maneira. É triste, inclusive pra mim, te dizer que eu não consigo dividir você. E quando eu digo que é triste, é realmente triste, me faz chorar a minha incapacidade de lidar com as coisas que a vida nos exige. Eu vou com medo, mas eu vou sóbria, sabendo que o melhor caminho vai ser o mais difícil, aquele que eu só vou poder te ligar pra chorar e você não vai poder fazer nada pra melhorar, exatamente do jeito que tem que ser. Eu tenho que aprender a lidar com as adversidades, seja com ou sem você. E nesse caso, é com tristeza que eu atesto, é sem você.

domingo, 7 de outubro de 2012

armadura



         As pessoas vivem nos cobrando um tipo de força que nem elas mesmas têm. Talvez a culpa seja minha. Essa carapaça sempre dura, estar sempre vestida de cota de malha, sempre pronta pra guerra dá essa impressão pra quem olha de fora.
         A verdade é que todo mundo tem seus dias de esforço árduo, tentando manter o sorriso no rosto e fingir que tudo ta bem, quando na verdade não está. Eu também tenho esses dias. Se as coisas pelo menos fossem mais fáceis. Pense como seria fácil se a vida fosse uma casa de lego. Se tudo der errado, vc destrói e constrói numa disposição diferente, ou usa peças diferentes, que não foram usadas antes, sem estress, sem pressa de ter o projeto final. Mas a gente é sempre assim, cobrando uma inauguração de uma puta estrutura quando a gente ainda tem que fingir que tá feliz. Cobrando aquela força que a gente gostaria imensamente de ter.
         A cota de malha não é pra mostrar pros outros. É pra dar mais força pra gente mesmo. Pra ser olhar no espelho e acreditar que estamos prontos pra guerra, quando na verdade não estamos. A batalha não é com o mundo, é interna. A gente constantemente cobra dos outros e principalmente da gente mesmo aquela força que a gente não tem. E talvez nunca tenha.

fantasma


Eu achava que eu era mais forte do que isso. Achava que quando você voltasse nada ia me abalar, que eu não ia mudar de idéia, que não ia confundir as coisas. Tudo era tão certo e já não é mais.
         Meu cérebro controla tudo, mas de vez em quando o filho da puta pifa. Pifa porque o coração tem mais voz dentro de mim do que o maldito cérebro. Eu achava que as bebedeiras, que o cigarro, que meu mundo cinza era só um tipo de luto, que era só eu pensando que tudo tinha acabado. Abriram a caixa de pandora do meu peito e o fantasma resolveu sair pra me assombrar de novo. Eu digo fantasma porque só retorna o que é vivo, o que não é o nosso caso. Eu tenho medo do escuro, mas seu fantasma me assombra durante o dia, não tem jeito de fugir nem acendendo a luz.
         Você se faz de forte, mas eu sei que não é bem assim. Eu sei que a gente tem esse orgulho sempre entalado na garganta, pronto pra correr no primeiro sinal que a fraqueza dá. O que me resta é continuar com meu copo, até o fundo, com meu cigarro, até o toco. E esperar a caixa fechar de novo e te prender lá dentro. Meu coração tem fechadura não é à toa, mas acho que sentimento escapa pelo buraquinho da chave.

o verdadeiro charme


"O verdadeiro charme das pessoas reside em quando elas perdem as estribeiras, quando não sabem muito bem em que ponto estão. Não são as pessoas que desmoronam, pelo contrário, nunca desmoronam. Mas se não captar a pequena marca de loucura de alguém, não pode gostar deste alguém, não pode gostar dele. É exatamente este lado que interessa. E todos nós somos meio dementes. Se não captar o ponto de demência da pessoa, eu temo que... aliás, fico feliz em constatar que o ponto de demência de alguém seja a fonte de seu charme."

quote.