terça-feira, 6 de novembro de 2012

devaneios

Mais um dia que eu espero as coisas acontecerem. Aquela ligação nunca vem, aquele bom dia não se faz. O erro é esperar de todas as pessoas da minha vida, sem exceção, que elas façam por mim o que eu faria por elas. Como lidar com a verdade se os rostos estão sempre mascarados? Eu me vejo em um baile, todas aquelas plumagens e cores lindas, eu sei o que elas escondem. Ninguém sabe o meu rosto, sabe quem eu sou. Sozinha no meu quarto eu ouço o infinito pensando que na verdade tudo é finito. E me dá saudade, me dá ânsia, mas me dá medo e me dá nojo. Procuro um farol tendo vivido sem um a minha vida toda, cobrando de mim mesma não fazer confusão entre lampejo e luz. Desculpa, não consigo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário