domingo, 15 de junho de 2014

no consultório

Muitos dias eu me pego querendo não sentir nada, ficar no marasmo. Esses dias alguém me disse que, pelo o que eu dizia sobre as minhas perspectivas, eu já estava parada. Um cérebro que não para, que até dormindo fala, como pode pensar, pensar e pensar e não concluir nada?
De vez em quando eu fico muito consciente das coisas que falo. Eu cozinho bem, eu escrevo bem, eu canto bem, falo outra língua bem. Será? Quando metaforicamente (ou não) saio do meu corpo e me vejo e me ouço dizendo essas coisas eu sempre duvido. Porque talvez eu fale demais. Pensar também não adianta de nada esses dias.
Uma anestesia, por favor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário