terça-feira, 24 de junho de 2014

sentir

Num daqueles dias em que eu só queria fugir, sentei no chão e comecei a pensar em como resolver tudo que estava na minha mente. Fui envolvida por um sentimento enorme de impotência, como se eu não conseguisse controlar o que acontecia ao meu redor. Me vi presa em uma rede de pesca, como uma pequena sardinha, capturada pelo navio pesqueiro desse mundão véio.
Essa onda de impotência explodiu em mim e eu capotei no desenrolar dela. As vezes as pessoas não entendem porquê a gente pira. Quem nunca se viu dentro de um turbilhão e/ou nunca se recuperou de um, não sabe o que é desespero. Aquele desespero que aperta no peito, que faz a gente querer simplesmente desligar, se sentir entorpecido, querer ser tomado por qualquer outra coisa que não seja aquilo.
Continuei sentada no chão, me sentindo presa. Presa naquele momento, tomada pela onda que quebrava em mim. Deixei acontecer, não havia mais nada a ser feito. Se temos que sentir, que seja.

Nenhum comentário:

Postar um comentário