terça-feira, 22 de julho de 2014

a folhinha no banheiro

Eu acordei era umas dez e meia. O sol brilhava e eu sentia um puta inchaço no rosto, de toda a bebedeira do final de semana. A cama estava vazia, porém isso não era o que me incomodava. Gosto do espaço, mas faltava você no resto. Sua mala já tinha ido, sua bagunça, seu cheiro, sua presença. Ficou o vazio e os livros que você me deu em cima da mesa. Olhei pra eles feliz, pois sua letra estava em um deles. Olhei paras minhas unhas, que precisavam ser feitas e resolvi não fazer nada. Sua pele das noites passadas ainda estava debaixo delas.
Levantei e pensei em tomar um banho. Melhor não, queria você ainda em mim. Seu cheiro, suor e tudo mais. Você tinha ido, mas não te tirei do meu corpo. Olhei em volta, pensando que você poderia estar escondido. Era só imaginação. Dei um pulo no banheiro e lá estava: a minha folhinha do Seicho No Ie, virada por você, no dia de hoje. Dia 22, com uma mensagem motivacional, falando de amor, e uma foto da cidade de Goiás. "Poderia ser mais irônico? Acho que não..." pensei. Havia três meses que eu não virava aquela folhinha. Eu viro apenas quando me sinto inspirada, quando quero que algo mude na minha vida, achando que, de alguma forma, aquelas mensagens podem me ajudar.
Me arrumei, ainda tinha que trabalhar. Meu estômago roncava, ainda precisava comer. Olhei pela janela o sol brilhava, mas tudo parecia meio cinza. Arrumei a cama, a cozinha e a comida dos gatos. Antes de sair, entrei no banheiro para me olhar no espelho e lá estava a folhinha marcando dia 22. Ficaria presa nesse dia, até que você voltasse, para virar a folhinha pra mim e me inspirar um pouco mais.

Um comentário: