domingo, 22 de outubro de 2017

Cor

A luz azul em contraste com a vermelha iluminavam seu apartamento indiretamente. Algumas coisas espalhadas pelo chão, algumas em caixas, uma plantinha pequena e tímida em cima da mesa. O projeto de árvore,  curiosamente, era da felicidade, aqueles nomes que a gente dá pra coisas projetando nossos anseios mais internos. A cama era o que mais chamava atenção, grande, convidativa, onde você fazia praticamente tudo. Entrei com o cuidado de elefante que eu tenho, não só no seu apartamento, mas na sua vida, enlouquecida para virar uma só com você. Um espelho grande, roupas pelo chão, seus quadros, você em cada pedaço, mostrando que não tinha nada de impessoal aquele apartamento recém alugado. Tentando decorar cada pedaço da sua toca quadrada, eu tentava decorar cada pedaço da sua alma sem forma, brilhante e linda, como um faixo de luz que ilumina o mundo inteiro. Você não é azul, é o arco-íris inteiro e todas as nuances dele. Seu olho marrom-dourado, sua pele branca, sua mente vermelho-fogo, sua luz dourada, sua alma azul-profundo. Todas as cores que eu queria pra tirar meu mundo do cinza. Acordei do meu devaneio quando ouvi sua voz dizendo “deita aqui comigo”. Deitei e de repente meu mundo se encheu de cor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário