quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

2am

Sentada numa mesa cheia de amigos, chorando pra mim sobre como tudo terminou, enquanto eles me falam sobre trivialidades, só penso o quanto sinto sua falta. Cansada, no final da noite, entro no carro, ligo o som no máximo, abro a janela, as ruas da cidade vazia, todas as luzes dos prédios apagadas, ascendo um cigarro e lembro do seu sorriso. Você me magoou pra caralho, mas por que será que só consigo lembrar do brilho dos seus olhos? Chego em casa, olho minha cama vazia, fecho os olhos e me imagino de frente sua cama, você deitada me esperando, sinto seu abraço. Abro os olhos e só vejo meus travesseiros e um vazio que me dói. Eu sei que tudo isso passa com o tempo, mas eu não quero que esse sentimento saia do meu peito. Meu coração pula ao lembrar de você e eu só queria te encontrar, olhar pro seu rosto e ver aquela feição familiar de “tá tudo certo, to contigo” que só você tem. O ressentimento queima, mas a saudade abafa o fogo. Escovo os dentes lembrando das nossas escovas iguais marcadas pra gente saber qual é qual, mesmo confundindo elas todo final de noite. Eu penso “passa a mão nas minhas costas” e é como se sua mão estivesse aqui. Nem sinal de você nesses dias, meu rosto no espelho cheio de maquiagem como se eu fosse sair e te ver. Mas eu não vou, pelo menos não hoje. Nananana, off I go.



Bad Sun - Off She Goes

Nenhum comentário:

Postar um comentário